A fé como única certeza na vida!

Vivemos num mundo em constantes mudanças, em tempos insólitos. Ao longo dos séculos, vários são os parâmetros, as filosofias e as correntes ideológicas que, de alguma forma, regem o mundo e a sociedade. Isso significa que uma cosmovisão, ou a forma de pensar e ver o mundo, de há centenas de anos, não pode servir de modelo para o mundo que vivemos hoje. Aliás, atrevo-me a dizer que até a cosmovisão que tínhamos há uns meses atrás, não se compara com a forma como vemos e veremos o mundo nos próximos meses. Isso deixa-nos claro, que as correntes filosóficas, os pensamentos, as ideologias que surgem, não podem, em nenhum momento e de nenhuma forma, serem a base para apoiarmos, firmarmos e, até, segurarmos a nossa vida. Porque uma coisa as caracteriza: a incerteza.

A forma como vivemos o mundo hoje é bem diferente do que vivíamos há uns meses atrás. As prioridades mudaram: há pouco tempo falávamos de eutanásia, agora apressamo-nos a salvar vidas. Penso que por mais que o homem tente, há um senso de eternidade, um medo do desconhecido, que o envolve e não o faz descansar. De repente, as pessoas estão à procura no baú de recordações e receitas, começam a valorizar a família e as pessoas que têm ao seu redor, dão conselhos de segurança e animam-se umas às outras com a frase que ficou célebre: “Tudo vai ficar bem!” Que necessidade tem o homem de sentir-se seguro, de sentir que tem o controlo, quando percebe que não o tem e que lhe fugiu a capacidade de decidir, passou a estar sujeito às deliberações de outros!

Tudo isto nos faz perceber o quão inseguro e instável é o nosso mundo; quando menos esperamos a realidade muda, e não muda só por um momento, por um tempo, mas muda de forma a condicionar para sempre o curso da vida, das decisões, da economia, da própria História!

Chegando a esta conclusão, qualquer um de nós pode facilmente entender que a vida como a conhecemos não pode sustentar-se em algo que, no fundo, concluímos que é instável. A nossa vida tem que ter um fundamento muito mais firme, claro, sustentável. E isso leva-nos a chegar à conclusão que, a única coisa verdadeiramente firme que nos dá segurança do que aconteceu ao nosso passado, do que sucede ao nosso presente e do que sucederá ao nosso futuro, é a Palavra de Deus!

Passará o céu e a terra, mas as minhas palavras não passarão” – Marcos 13:31.

A Palavra de Deus é a única que não muda, independentemente das crises mundiais, dos problemas atmosféricos ou das tempestades económicas! Muito pelo contrário, ela protege-nos, antevê todos esses acontecimentos, e permite-nos estar um passo à frente de todas essas situações! É certo que, como filhos de Deus, precisamos de buscar o Seu rosto a cada dia para receber a Sua graça divina. Não obstante, nem todos os cristãos experimentam essa graça e avivamento. Para experimentar isso, temos que nos preparar. Temos que desenvolver a nossa cosmovisão por meio do conhecimento e da compreensão do mundo espiritual. Precisamos de aprender a ver o mundo da forma como Deus o vê, para alcançarmos a verdadeira e plena felicidade.

Génesis 1 :2-3 diz:

E a terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo; e o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas. E disse Deus: Haja luz. E houve luz.

De uma forma simples, podemos ver como a terra, o abismo e as águas pertencem a um mundo visível. Mas Deus, que pertence ao invisível, declarou sobre a terra, sobre o mundo visível, “Haja luz” e houve luz. Todas as coisas que hoje vemos e conhecemos, desde o sol, a lua, as estrelas, os mares e a terra, foram criados por um Deus invisível!

E quando nós entendemos que estamos neste mundo, sujeitos ao espaço, à matéria e ao tempo, mas que, ao mesmo tempo, podemos também ter acesso ao mundo espiritual, invisível mas real, então podemos facilmente entrar numa compreensão de que nos é possível experimentar algo poderoso, pois a dimensão espiritual cria, governa e transforma as nossas circunstâncias de tempo, espaço e matéria!

O nosso Deus é sem limites, exatamente porque vive numa dimensão que não tem limites! Quando entramos nessa dimensão, pela fé Nele, é possível experimentar e receber algo diferente e sobrenatural, que nos transcende mas que nos alcança!

A fé está relacionada com obediência, pois é disso que ela realmente trata. A fé ajuda-nos a reverter as situações da vida, a superar as limitações e fraquezas e, assim, alcançar a felicidade.

É interessante observar os milagres de Jesus. Quando as pessoas se aproximavam com as aflições da vida, com doenças, morte, enfermidade, angústias, Jesus não dizia: “Eu curei-te”, mas dizia “a tua fé te curou”. E ele dizia isto, quando agia através do homem. Ou seja, quando havia fé no homem para receber Dele. Quando acalmou a tempestade, ou multiplicou os pães e os peixes, fê-Lo por Ele mesmo, porque aí não havia o elemento fé do homem. Sempre que Jesus agia por intermédio da fé que encontrava no homem, ele nunca deixou de dizer: “a tua fé te curou”. O fundamental é que Jesus agia segundo a fé que Ele encontrava no homem. O mesmo acontece hoje. Deus procura em nós fé, para que possamos superar as limitações e fraquezas da nossa vida.

Em Marcos 5:21-43, temos a descrição de como Jairo, um dos principais da sinagoga, procura Jesus e pede-Lhe que vá até à sua casa, para curar a sua filha.

Quando Jesus e Jairo se dirigiam para lá, um dos seus servos correu ao seu encontro e, em lágrimas, disse-lhe:

“- A sua filha já está morta. Não incomode mais o Mestre”.

Que misto de emoções e sentimento não estariam ali, no coração de Jairo! Angústia, desespero, tristeza, frustração, com certeza se apoderaram dele. A última esperança estava em Jesus, mas já tinham chegado tarde demais. Tudo à sua volta estava destruído, a morte consumada. Mas é aí que Jesus lhe diz: “Não temas; crê somente”. Se Jairo agisse conforme as suas emoções, no que ele estava a ver, simplesmente poderia dizer-Lhe:

– Não ouviste? Já morreu. Vou crer em quê? Já não há nada que possamos fazer!

Mas não foi isso que ele respondeu. Não importando o que provavelmente ele estava sentir, ele decidiu crer! E foi essa decisão que levou Jesus até à menina e ela ressuscitou!

A fé não é uma emoção, é uma decisão. Eu decido, eu escolho crer em vez de ficar paralisada com o que a realidade me mostra. Fé é crer em Deus e na Sua Palavra, ainda que o coração esteja magoado, frustrado e desesperado. Ainda que o medo me queira assombrar. Em todos os momentos, sejam fáceis ou difíceis, eu vou crer!

Muitas pessoas dizem ter fé, mas, na realidade, o que elas têm é simplesmente uma forma positiva de ver a vida. Mas quando as circunstâncias difíceis chegam, aí é que vemos realmente a fé de alguém; é quando as circunstâncias são adversas que se revela o tamanho da fé. É quando a pessoa atravessa uma situação frustrante , que se pode saber se a sua fé é viva ou morta. Se se vai apegar a Deus, ou desesperar perante a circunstância.

Muitas vezes, Deus vai deixar-nos caminhar aparentemente sozinhos, tomarmos decisões e fazermos com as nossas próprias forças. Mas é quando chegamos àquele momento em que entendemos que nada mais podemos fazer por nós mesmos, é quando entregamos tudo a Ele e dizemos: “Eis-me aqui, faz a Tua vontade em mim, guia-Me no teu propósito”, que verdadeiramente a vitória chega! Deus, às vezes, vai permitir-nos chegar ao ponto de nós mesmos entendermos onde está a nossa confiança, e quando nos aprova no exame, Ele vem e manifesta o Seu poder e autoridade.

Por nós mesmos não podemos, mas pela fé em Deus, poderemos alcançar todas as vitórias.

A fé, em Deus e na Sua Palavra, é o único fundamento onde realmente podemos apoiar a nossa vida. A fé em Deus é, realmente, a nossa única certeza na vida. porque mesmo que, à nossa volta, tudo desmorone, a incerteza seja uma certeza, há algo eterno e vivo que não muda e que deve ser, essa sim, a certeza onde está fundamentada a nossa vida: a Palavra de Deus! Essa é eterna, verdadeira e jamais falha! Enquanto o mundo se corrompe, a Palavra de Deus permanece fiel e segura. Num mundo incerto, a Palavra de Deus é a nossa segurança e certeza! Tenha nela a Sua esperança!